28.6.08

Uma breve nota pela liberdade


Hoje, em Lisboa marchou-se pela igualdade de direitos entre todos os seres humanos, independentemente de quem amam ou desejam. Eu, que até acredito na teoria deste senhor e tudo, além de ter a liberdade como valor e directriz pessoal, deixo aqui o meu apoio a esta luta.

E faço votos para que um dia o único factor de julgamento de um ser humano seja apenas e unicamente o seu carácter.

4 comentários:

Catarina A disse...

Isso era uma noção de justiça muito mais acertada, mas que infelizmente, dificilmente, alguma vez, será aplicada.

Beijinhos *

Paulo disse...

obrigado, Celeste, pelo teu apoio. eu não marchei, mas todo o apoio é bem-vindo, sobretudo de pessoas fora do meio. um dia, as coisas serão mais justas, não se sabe é quando...

abraço

Anónimo disse...

sim, um dia as coooooisas serão mais justas.
e a atestá-lo temos o facto da descoberta da grassante homossexualidade nas moscas da fruta. mas isso até é bom, porque afinal de contas uma boa mosca, é uma mosca homossexual, pela simples razão de que estes pares não se reproduzem. e toda a gente sabe que ninguém gosta de moscas...

Ass.
O Sr. Anónimo


...é isso, n publiques :D

Celeste disse...

Catarina,
Essas mudanças começam em cada um de nós...

Beiji** :)



Paulo,
Pela liberdade, sempre! E tu e o Zé são um exemplo.

Beiji** :)


Sr. Sem Nome,
Só porque sou do contra...

E a homossexualidade não acontece apenas nas moscas, lá está. Nem a bissexualidade, concerteza. E esses (muitos de nós, creio eu!) até se reproduzem.

Abraço :)