29.10.08

Éééééé lé!


Queres ver que é mesmo desta?!

Nota de Redacção: Alegria, ansiedade... e uma pontinha de medo.

28.10.08

Interioridade

E não é que quanto mais eu quero saír do Credo, mais o dito parece cercar-me?


Não, aqui não é o meu lugar. Isto só pode querer dizer uma coisa: que tenho que me tornar uma mulher (ainda) mais forte, mais determinada, mais consciente das minhas escolhas. Então que seja...


Foto de Antero de Alda, fotógrafo da interioridade e da condição feminina

A estas senhoras, como a tantas outras, conterrâneas e contemporâneas das gerações de mulheres que me antecederam, gostava de poder dar um sol que as aquecesse permanentemente, uma família que as amasse, consciência dos seus direitos e liberdade de espírito (e uma religião sem culpabilizações), comida na mesa e assistência médica de qualidade. E, já agora, roupa colorida, música alegre e uns abraços à maneira, assim daqueles que aconchegam a alma.

Música... devia haver música, alegria, optimismo. Sim, sou um pouquinho louca, já sei! Mas preciso de vida, muita vida à minha volta. Quero luz, quero conhecimento, quero crescer. Acreditar no Ser Humano, ser mais e mais positiva, ganhar o Mundo.

25.10.08

Ai cum carago!


É pá... isto de tomar decisões atrás de decisões...

9.10.08

Um blog fantástico...


...para quem (como eu!) gosta de rir: Nóis na Tira
Altamente recomendado, portanto.


Cucu!!!


Estou viva pessoal, e rija como uma pêra!
A minha vida levou umas voltitas... nada de grave. Mas fazem com que ande com a casa às costas (ainda) mais frequentemente do que já era hábito. Conclusão: ou não tenho net, ou tenho mas estou demasiado acompanhada para reflectir sobre a vida e a sua maravilhosa arte.

Escapou-me o dia internacional da Paz, a entrada da estação mais colorida e deprimente do ano, a dinâmica vitoriosa do Obama, o colapso das instituições bancárias, and on, and on, and on...

Mas tenho feito muita formação, algumas viagens de comboio, e recebido muitos miminhos, por isso... até tem compensado a inércia do meu sentido de análise mundana. E ainda tive tempo para dois ou três episódios daqueles engraçados... e dignos de pôr uma mulher à beira de uma crise de nervos.

Tenho vivido intensamente. E viver é que vale, é ou não é?