27.8.09

Momentos de Angústia...


Cagufa mesmo! Com esta história dos técnicos das escolas terem, entretanto, transitado para a tutela das autarquias... e a minha situação continuar (até agora) por definir.
É que a única palavra começada por "c" que possuo será (talvez!) "competência". E não costuma valer grande coisa cá no burgo, né?
Ai...

Nota de Redacção: Já estou a pagar por ser má língua, oh pá!

22.8.09

Eu nem costumo ser má língua, mas...


Acabei de ver a entrevista desta figura a um programa da Sic e não posso deixar de dizer que fiquei enjoadinha de todo! Eu, para quem ela era pura e simplesmente indiferente.

A moça foi lágrimas e beicinhos porque nunca foi menina, ai e tal, passou logo a adulta, porque ouvia chamarem-lhe parola do norte, porque nunca foi rica, e blá, e blá, e blá. Coitadinha... que nunca teve cunhas nem nunca dormiu com ninguém, blá, blá, "os de lá de cima "é que a ajudam e protegem, porque é tão odiada que até terra do cemitério lhe põem na porta. E que essas pessoas que não gostam dela é que são ser infelizes e acabarão por ser castigadas, e blá, e blá, e blá.

E a palhaçada continuou, lagriminhas e foleirices até entupir a paciência. E eu, grande desocupada do caraças, a ouvir.

Vou ali vomitar e já volto, ok?

20.8.09

O porquê de tudo, e porque tudo tem um porquê...


Chegou com o cabelo comprido a esconder-lhe os olhos e o telemóvel na mão, como se de uma arma se tratasse. Uma arma contra a invasão da sua vida interior, contra intromissões indesejáveis.

Corpo de menina, roupa de mulher. Olhos pintados de negro e piercings cor de prata a enfeitarem-lhe o rosto triste. Olhar cabisbaixo, sorriso tímido no canto dos lábios.

Uma criança-mulher de 14 anos. Ou será mulher-criança? Uma vida difícil, desamparada, desprovida de afectos seguros. Álcool, drogas, experiências de deslembrança… Vontade de mudar, de encontrar um caminho, de saber quem é. Fragilidade. Muita solidão.

Duas horas de conversa, de partilhas, também minhas e dos que fui conhecendo ao longo da vida. Como exemplo(s). Ou agora os psicólogos não têm vida? Ora essa…

Um à vontade progressivo, uma cabeça que se foi levantado e uma boca com sorrisos já rasgados. “Oops, tratei-a por tu!”

Reflexões conjuntas, uma ideia muito importante. Miúda, antes de mais nada, tens que ser a tua melhor amiga. Sim, que isso de desculpar aos outros aquilo pelo qual nos auto-flagelamos não está com nada! Lembra-te disso naqueles momentos.

Votos sinceros de boa sorte e um folheto com o meu mail escrito a caneta azul, daquelas oferecidas pelas escolas profissionais, e que escrevem fininho. Devem ser mais baratas, digo eu.

“Obrigada!” Então porquê? Pfff, foi um prazer miúda! E acontece que ainda me pagam por cima. Entendo-te e aceito-te como és. Valha-me Deus, a culpa não é tua! A vida é que é difícil. E para uns um bocadinho mais que para outros. Tem cuidado, há cenas que só alimentam as nossas sombras. Boa sorte!

E sim, é nestes momentos que sei que adoro o que faço. E sou feliz!

19.8.09

Enfim...


"O alerta surgiu após a RTP e a SIC terem noticiado esta quarta-feira o caso de uma menor de 17 anos alegadamente violada que se deslocou ontem à noite ao hospital de Santa Maria, em Lisboa. Foi pedido à menor que esperasse até às 08h00 sem beber água, tomar banho ou lavar os dentes para não eliminar eventuais vestigíos uma vez que, em Agosto, o IML não dispõe de peritos disponíveis durante a noite e os médicos de Santa Maria não realizam este tipo de peritagens."
Daqui

É o CSI à portuguesa, o verdadeiro.
Ou será apenas tortura?

Anyway, não posso deixar de pensar... e se fosse a filha deles? Ou da ministra ou dos administradores? Hein?!

Nota de Redacção: Mais uma vergonha terceiromundista...

15.8.09

Voltei de lá!


E pronto, foi bom enquanto durou mas está-se a acabar. De qualquer forma, passo por aqui para dizer que correu tudo bem lá no sítio onde passam férias os ingleses pobres e os portugueses remediados.

Ó p'ra mim tão pimpona, em estilo "quem quer casar com a carochinha lilás".

Muito sol, sardinhas e vinho verde. E também um almoço muito agradável com a Denise, que isto as amizades blogosféricas são do melhor que há.

Agora é queimar os últimos cartuchos e voltar ao trabalho. Felizmente.