26.12.08

Um apelo à minha família...


Por favor, não me ofereçam mais pijamas este ano, pode ser?
Please?

Nota de Redacção: Humpf...

24.12.08

Então para todos...


Votos de um Natal feliz e aconchegado!

21.12.08

É pá, boas notícias...


Já tenho casa. E que casa, minha gente! Desta vez num Credo à beira-mar plantado.
Pronto, só falta a net. Ando a investigar qual a melhor opção. Acontece que já tenho tv cabo à borlix do condomínio. Alguém tem sugestões?

Nota de Redacção: MIX, estás convidadíssima!

29.11.08

Porque a vida é incerta...


E eu, para já, não tenho internet em casa (nem casa !)... ficam as saudades.

Nota de Redacção: Mas sim, talvez tenha sido desta...

29.10.08

Éééééé lé!


Queres ver que é mesmo desta?!

Nota de Redacção: Alegria, ansiedade... e uma pontinha de medo.

28.10.08

Interioridade

E não é que quanto mais eu quero saír do Credo, mais o dito parece cercar-me?


Não, aqui não é o meu lugar. Isto só pode querer dizer uma coisa: que tenho que me tornar uma mulher (ainda) mais forte, mais determinada, mais consciente das minhas escolhas. Então que seja...


Foto de Antero de Alda, fotógrafo da interioridade e da condição feminina

A estas senhoras, como a tantas outras, conterrâneas e contemporâneas das gerações de mulheres que me antecederam, gostava de poder dar um sol que as aquecesse permanentemente, uma família que as amasse, consciência dos seus direitos e liberdade de espírito (e uma religião sem culpabilizações), comida na mesa e assistência médica de qualidade. E, já agora, roupa colorida, música alegre e uns abraços à maneira, assim daqueles que aconchegam a alma.

Música... devia haver música, alegria, optimismo. Sim, sou um pouquinho louca, já sei! Mas preciso de vida, muita vida à minha volta. Quero luz, quero conhecimento, quero crescer. Acreditar no Ser Humano, ser mais e mais positiva, ganhar o Mundo.

25.10.08

Ai cum carago!


É pá... isto de tomar decisões atrás de decisões...

9.10.08

Um blog fantástico...


...para quem (como eu!) gosta de rir: Nóis na Tira
Altamente recomendado, portanto.


Cucu!!!


Estou viva pessoal, e rija como uma pêra!
A minha vida levou umas voltitas... nada de grave. Mas fazem com que ande com a casa às costas (ainda) mais frequentemente do que já era hábito. Conclusão: ou não tenho net, ou tenho mas estou demasiado acompanhada para reflectir sobre a vida e a sua maravilhosa arte.

Escapou-me o dia internacional da Paz, a entrada da estação mais colorida e deprimente do ano, a dinâmica vitoriosa do Obama, o colapso das instituições bancárias, and on, and on, and on...

Mas tenho feito muita formação, algumas viagens de comboio, e recebido muitos miminhos, por isso... até tem compensado a inércia do meu sentido de análise mundana. E ainda tive tempo para dois ou três episódios daqueles engraçados... e dignos de pôr uma mulher à beira de uma crise de nervos.

Tenho vivido intensamente. E viver é que vale, é ou não é?

19.9.08

Porque os sentimentos são cool!

Uma das coisas que aprecio é dizer às pessoas as suas qualidades. Que isto não pode ser só apontar defeitos, devemos também fazer-lhes notar as suas características positivas ou reconhecer os seus esforços nesse sentido. Em psicologia chama-se reforço positivo e faz maravilhas pela auto-estima. Além disso, é simpático e contribui para a construção de laços emocionais entre as pessoas. E tão preciosos que são...


Pessoalmente, faço questão de fazê-lo sempre que tenho motivos sinceros para tal.

Ainda mais importante para mim é dizer às pessoas que amo exactamente isso... que as amo. Dizer-lhes que gosto delas, o quanto me fazem sentir melhor pessoa por conhecê-las, as alegrias que me dão e a felicidade que me transmitem. E quem diz "dizer", diz também demonstrar-lhes o nosso afecto com carinho, com preocupação, com acções, com empatia, com abraços. Com amor, porque não há que ter medo da palavra.

Embora nem sempre seja fácil pôr o coração nas mãos (ou na boca!), é bem mais difícil encarar as palavras que ficaram por dizer quando, eventualmente, já não temos essa oportunidade.

Nota de Redacção: Depois de um post sobre os nossos deputados, posso ser um bocadinho lamechas sem correr os risco de fazer disto a Oprah.

17.9.08

Reabertura do ano parlamentar

Os senhores deputados regressam hoje a S. Bento, parece que para discutir a tal lei do divórcio.
Acabaram-se as férias? Óoooh... tadinhos...


... de nós!

16.9.08

Para isto...


Imagem rapinada daqui

Só tenho uma expressão: pornografia moral.

Ou será prostituição da intimidade?

Vergonhoso...

13.9.08

Olhá a votação ----------------------------->


Falando em bipolaridade, podem fazer-me o favor de votar ali nas músicas de Bipolar antes que acabe o prazo? Vá lá pessoal!

A música electrónica é muito vasta, como tendes visto aqui no estaminé, e na minha opinião o futuro passa pela sua fusão com outras sonoridades mais tradicionais. Consegue-se perceber quando tem qualidade... da mesma forma que sabemos se alguém canta afinado ou não.

Apesar de pouco convencionais (ou comerciais), eu gosto da maioria das suas produções. Ele tem talento, sentido de rítmo e muita sensibilidade, precisando apenas de levar a coisa a sério, de aprofundar (eventualmente) algumas técnicas para ser mesmo excelente. Julgo que está ao seu alcance.

Mas como é um habitante do meu coração (e logo de uma suite!), é natural que perca objectividade na minha análise. Por isso votem, digam de vossa justiça! E qualquer opinião é válida, ok?




Obrigada pessoal, sois uns fixes!


Nota de Redacção: E não, não é mesmo bipolar. Graças a Deus...
Mas se fosse também não era o fim do Mundo.

12.9.08

Ai se fosse comigo... se eu fosse poiarense (?)


A iniciativa UPA, em prol da integração dos indivíduos com doenças mentais (não se pega e a maioria tem intervenção terapêutica eficaz, ok?), da associação Encontrarse, é louvável e plenamente justificada. Além disso, as músicas do projecto são, na generalidade, de boa qualidade. Mas, ó meus amigos...

"Agora somos todos bipolares. Mas ninguém sabe o que isso é em Poiares."


Está doidinho ou quê, ó Ti Rui? Sabe a quantidade de psicólogos que há em Portugal? E quantos colegas de Poiares tive na faculdade, hein?! (Um, pelo menos... ora!)

Que mania pá!!! Pffff E doenças mentais? Queres ver que também é só no Porto e em Lisboa, queres ver...

Nota de Redacção: O homê tem uma taxa de empáfia que faz favor...

11.9.08

Dúvida supééé-existencial


Há pouco passei a tv pela Sic e estava a dar uma tourada da Caras, em directo do Campo Pequeno. E fiquei a magicar com os meus botões... Mas que raio faziam as vacas sentadadinhas na bancada, hein?

E já agora, embora respeite as pessoas que estavam sentadas ao pé delas, o que eu acho das touradas é isto:


Nota de Redacção: Desculpa lá, ó Ju...

Parabéns querido bró!


De pirralho mexilhão com pilhas duracel a adolescente metalo-sorumbático, o meu maninho passou por várias fases. Cresceu e evoluiu, sendo hoje alguém que respeito. E respeito-o principalmente por ser uma pessoa capaz de se pôr em causa e querer melhorar.

Como tem muitas qualidades (ouviste, ó carago?!), acredito que irá tornar-se um homem de virtude e carácter. Força bró, estarei sempre do teu lado. E parabéns pelo teu 24º aniversário!

Nota de Redacção: Estás velho caraças! :)

10.9.08

Voltas e voltas


De modos que a vida é assim, tal e qual. Voltas e reviravoltas, aprendizagens e auto-conhecimento. Sou uma crente na arte de nos irmos confrontando connosco mesmos, convivendo alegremente com o nosso diálogo interno, que aos poucos vai deixa de ser incómodo. Traz-nos maturidade e (alguma) tranquilidade. E inferioriza os medos... coitados!

E, além do mais, tudo vale a pena se a alma não é pequena. E a idade não é (demasiado) grande.

Nota de Redacção: Então porque raio é que eu continuo a sentir este apertozinho?

8.9.08

A conversa do lugar!


Quando eu era novinha, assim mesmo no início da adolescência, a minha avó e a minha mãe falavam muitas vezes na virtude de se "saber ocupar o lugar".

Bla, bla, bla, mas "tu vê lá, menina! É muito feio uma pessoa não saber ocupar o seu lugar, ouviste?"
"Ai mas que chatas, que aborrecidas!- pensava a jovem Celeste- e também que estupidez! Como se fosse possível não ocuparmos o nosso lugar... só se fossemos o homem-invísivel. Então se estavamos no nosso corpo?! Adultos, tss, tss!


Anos e anos depois, acho que entendo perfeitamente ao que se referiam...

4.9.08

Lei n.º 57/2008 de 4 de Setembro


Ou a instituição da Ordem dos Psicólogos, por publicação em Diário da República.

Eu acho bem, assim na generalidade. Há muito que se impunha uma entidade que regulamentasse e garantisse a qualidade do nosso desempenho profissional, de forma a credibilizar a classe, que neste aspecto anda pela hora da morte. Aliás, eu própria não confio nela, para ser sincera. Ou seja, já era tempo de pôr ordem na taberna!

Mas estou confusa... pagar cotas mensais ainda vai, mas virem-me agora exigir, a mim, que já fiz estágio curricular e profissional, além de possuir (felizmente!) alguma experiência, um outro estágio profissional de 12 meses?! Deve ser em formato de seminário, e estão certamente com a mania das grandezas. Porque senão, quero saber quem me sustenta entretanto... Freud ou o futuro bastonário?

3.9.08

A filósofa

A minha semana iniciou-se com o regresso ao trabalho... e com um momento luminoso proporcionado por uma mini-filósofa, daquelas de mão-cheia. Para contrabalancear.


Dirigia-me eu para a porta de um shopping lá da cidade para almoçar junk food israelita, quando me cruzo com uma menina pela mão do seu pai. A garotinha teria uns 6 ou 7 anos, um sorriso radioso e uma caixa pequena da Pizza Hut na outra mão. Quem me conhece sabe que eu acho possível perceber (sentir, vá!) se a criança é feliz pelos seus olhos. E esta era, radiosa... então com uma pizza na mão, só lhe faltava levitar! O pai também tinha boa pinta, descontraído e sorridente.

Quando nos estavamos quase a cruzar, heis que a criancinha se sai com a seguinte afirmação:
"Mas nós somos donos da nossa vida, é ou não é pai? Então podemos fazer tudo o que quisermos."

A sua convicção foi tanta que eu e pai sorrimos imediatamente, trocando olhares cúmplices. Ai a inocência, meu Deus! Tão acertado mas igualmente tão errónio. Que dissonância... e que caraças, também!

Ainda ouvi o pai nas minhas costas "Não é bem assim, também existem os outros, blé, blá, blá...", mas a convicção desta pequena pensadora, tão alegre e cheia de confiança , juntamente com o sol que brilhava iluminando-lhe a face sorridente, fizeram o meu dia.

Nota de redacção: Só faltavam as bolinhas de sabão de mil reflexos para dar ambiente...

De regresso ao Credo


E ainda por cima está frio aqui... pffff!

Só para animar mais um bocadinho, à minha espera estava também uma carta dos borucratas do IEFP (finalmente!). A solicitar sabem o quê? Sabem, sabem?! Isso mesmo, mais papeís!

A modos que é assim a vidita, pronto.

Nota de Redacção: Bem, ao menos a veia criativa vem renovada... vamos ver se não congela de frio... ou de tédio.

21.8.08

Férias importantes cumó carago! Brrrr


As férias estão a ser óptimas, ainda que pouco assinaláveis do ponto de vista turístico, porque toda a gente sabe que o que (mais) interessa é a companhia, e não tanto o sítio...

Imaginem que já pressentiam uma mudança na vossa vida, que viria aí uma surpresa qualquer, uma reviravolta inesperada. Um sinal que iria determinar as minhas escolhas e o rumo da minha vida, sei lá! Conhecem a sensação? E se a surpresa ainda é maior do que pensavam? E se, num ápice, entendemos finalmente o significado daquela sensação abstracta que nos acompanhava há algum tempo, tal cobra em plena renovação de pele...

E depois ficamos assim, a cismar sobre o sentido da vida, sobre os nossos pressentimentos, sobre as coisas que verdadeiramente desejamos ou nos fazem felizes. E sobre todos os riscos de arriscar. Memorable is good... if in a nice and pleasent way. A porra é que disappointment is also memorable...

Ou seja...

E se, de repente, o homem da nossa vida (até ver!) reaparece, vindo lá sabe Deus de onde, e nos diz para largarmos tudo e irmos morar com ele, lá na cidade grande? E se, coincidentemente, nós já estávamos fartinhas de estar no mesmo sítio? E se, e se, e se? E se corre mal? E se, pelo contrário, correr bem? Nem sei qual das hipóteses me assusta mais... Aliás, sei. As coisas a sério assustam-me muito, e a verdade é mesmo essa.

12.8.08

Fui



Finalmente, finalmente, finalmente!

11.8.08

Está certíssimo, mas...


Imagem daqui

A parte da pobreza já não será tanto assim (I wish...), mas de resto Voltaire era um sábio. E a minha avózinha também: "- A boa vida faz colheres, sabes tu menina?".

Mas nada de exageros, cum carago!

Vá neurónios queridos da dona, um último esforço, ok? Prometo que depois vos levo de férias e durante uns tempos não vão existir consultas, testes, análises comportamentais, valores normativos, relatórios e papeladas para ninguém. Palavra de Celeste.

10.8.08

Welcome back Leonor


Cartoon de Rodolphe Guenoden

Já estavamos com saudades das tuas (sábias!) loucuras. Agora que moras num Credo como o meu, aposto que nos vais brindar com muitos mais textos fantásticos, tu que és uma das melhores produtoras de posts cómicos da blogosfera portuguesa.

Gosto de ti pá, és cá das minhas. És lúcida e honesta, coisa que, por ser angustiante, é disfarçado com um sentido de humor fora se série. Já te disse que o sentido de humor anda associado à inteligência? Ah pois é, existem imensos estudos que o confirmam.

Quanto ao resto, só tenho a dizer que foi um mimo ver-te ali, no meio de uma quintita de celebridades (ou seria uma quinta de celebridezitas?), marcando a tua posição de pessoa do povo, e levando a melhor. E os gajos então, (pffff!) ai e tal, esta dança no varão, vai ser aúúúaúúú... festa, festa! Bem que se enganaram, os palermas, era ali um respeitinho com a La Sousa que sei lá!

Gosto pá, que mais posso eu dizer. És um orgulho para a minha condição de mulher independente, e especialmente de ser humano que faz questão de se pautar pela integridade.

E foi com espanto e uma certa pontinha de orgulho que li, lá no teu tasco, uma descrição da minha pessoa como sendo uma mulher de opiniões invulgares. Valeu cara! Mesmo.


Nota de Redacção: Olha que, pelas minhas experiências de vida universitária, CB é um dos grandes manicómios deste país, já por si só um grande Júlio de Matos. Não sei será bom ou mau, mas cá fica a partilha. Grandes varadas amiga, grandes varadas!

5.8.08

Grão a grão...




You Have Low Self Esteem 28% of the Time



Generally, you feel pretty darn great about who you are, even when you mess up or fail.

Occasionally, a huge setback will make you question yourself, but you pick yourself up quickly.

4.8.08

É pá...


Imagem daqui

Alguém me explica o que vem a ser isso do canal horeca? É que passei os olhos pelo Expresso Emprego e fiquei com esta dúvida. Again... (loooura!)

E depois só me vêm coisas parvas à cabeça...


- Então? Andeca!
- Nãã, ainda não está na minha horeca.
- Ai ca granda seca!
- Olhe que leva na par#@a.
- Oh faneeeeca!!!


Nota de Redacção 1: Coisas complicadas que o animal homem inventa... E para fazer o mesmíssimo que os outros, tss, tss...

Nota de Redacção 2: Preciso MESMO de férias.


1.8.08

E se vos disser?


Imagem daqui

Que estou muito cansada.

Que estou farta de ter a minha vida (muito) condicionada por questões financeiras.

Que estou farta do Credo e de ser evangelizada à força.

Que estou danada com o IEFP por não dar resposta ao projecto da empresa, vai já para sete meses.

Que já não aguento trabalhos temporários, os recibos verdes e não ter direito a nadinha.

Que estou aqui, estou a mandar a psicologia às urtigas, mais aos governantes que deixam abrir 1356 cursos da mesma licenciatura.

Também não há mais nada, bem sei...

Será tarde demais para ser puta?

Hum... para isso não tenho coragem.

Talvez imigrar.

Sei lá!


24.7.08

Pfffff



Machistas do cara##@!

Mas pelo sim, pelo não, o melhor é ficar atenta. Até ver, está tudo nos conformes*. (Ufa!)


* gira como sempre, e sem bigode! :)

19.7.08

As luzes e as sombras

Abençoada seja a cidade grande. Abençoados os risos, a luz, a música, as histórias que se cruzam juntamente com os olhares. Dou graças pelo corropio de vida (e de vidas) que te seduz, pelo brilho de tantas luzes, de tantos olhares. Pela excitação de múltiplas oportunidades, de mil aventuras, das infinitas conjecturas com que se poderá cruzar o destino.

Abençoados sejam por afastarem de ti as sombras. As das gaivotas e as da tua alma.

Imagem daqui
Na nossa cidade conhecemos todas as luzes, e então o luar já projecta algumas sombras. Por vezes inquietam, toldam o futuro, parecem vencer-nos...

No campo então, as sombras das criaturas continuam a projectar-se na alma dos homens, tal como acontece à gerações, como acontecia com os nossos antepassados. O cheiro da terra quente não ajuda, faz lembrar uma prisão.

Os dias parecem todos iguais, as pessoas também. Pior, os desejos amortecem, a inércia tende a instalar-se, tal como uma morte ainda em vida. A morte dos sentidos, do sentir, do que de mais precioso temos.

Imagem daqui
"Como lutar contra isso?" - perguntas-me tu? Como sobreviver sentindo, desejando, crescendo?

"Encontrando a luz, a vida e o brilho dentro de nós!" - respondo-te eu. Sendo seduzidos pela vida de dentro para fora, e não de fora para dentro.

Aqui, eu consigo combater o luar esmagador, o silêncio e as minhas sombras porque tenho muitas luzinhas cá dentro. Luzes do passado, do presente e, ainda mais importantes, do futuro. Luzes que vou coleccionando pela vida fora, exactamente porque nunca sabemos quando teremos que ser (apenas) nós a espantar as sombras, o medo, a angústia.

Essas luzes, essa vida intensa que existe dentro de mim, são as pessoas maravilhosas que vou conhecendo (que as outras esquecem-se), as muitas coisas que ainda quero aprender, e os objectivos que vou concretizar. O amor ao meu semelhante, que me ilumina como uma tocha, e o meu amor-próprio, pelo qual muito tenho lutado... porque sem ele, nada.

Uma das luzes que brilha vividamente dentro de mim é a tua memória, uma memória construida ao longo de alguns momentos e muitas etapas. O sentido de humor subtil, o toque delicado, o sorriso doce. A tua calma, a paz aparente. E saber que existes, que estás aí. Aí, onde o mundo vai espantando as tuas sombras.

18.7.08

E continuando numa de aniversários...


Imagem daqui
Este grande amante da liberdade faz hoje 90 anos. Uma figura incontornável da história mundial e um grande senhor.

Mas muito, muito mais importante para mim é a minha avózinha, que nasceu a 18 de Julho de 1912 numa aldeia chamada Mosteiro de Fráguas. Lá onde ela está, completa hoje 96 anos, e deixou-me pouco antes de fazer os 91.


Imagem daqui
Era uma pessoa muito calma e ponderada, que fazia tudo ao seu próprio ritmo. Tinha uma paciência de Jo para me aturar a tropeçar nos bancos, a falar com os vizinhos da varanda, a fugir quando não queria a fralda. E foi com ela que aprendi as coisas mais importantes da vida: os cheiros, os sabores, os sons, os primeiros passos...

Era a pessoa que melhor conhecia a Celeste criança, e que mais (melhor, talvez) a amava. Lá onde estiver, sabe certamente o quanto a amo e a falta que me faz.

Parabéns vózinha, um grande beijinho!


17.7.08

Hei Sofia, Lady OMD e Catarina do chocolate!


Pá, essa dos 25 anos é uma piada minha e da mix, há uns anitos a esta parte. Ou seja, eu faço sempre 25 , e ela faz sempre 23. Todos os anos, get it? AhAhAhAh! Sentidinho de humor...

15.7.08

Ora obrigados!


Um grande abracinho para quem se lembrou de mim neste meu (25º??) aniversário. E para os outros também, vá... mas mais pequenino, ora essa!

14.7.08

Deve ser da SPM

Fui passar o fim-de-semana ao Gerês com os outros técnicos do P&C. Team building, acho eu. Apesar de eu preferir mil vezes a cidade, aquilo é lindo, não é?

Imagem emprestada por esta rapaziada

Mas venho de lá mesmo muito chateada comigo mesma. Não é que eles (tudo gente doutouranda e docente universitária) estão a combinar a ida a um congresso aqui:


Isto sim, era assunto!!!

Nestes momentos pergunto-me que raio é que andei eu a fazer enquanto aquela gente estudava.

Ah, já sei, lembrei-me agora! Uma passagem por eng. civil, meia dúzia de crises existenciais e inúmeras conversas de café. Pffff...

E então decidi que vou fazer a pós-graduação, marrar, marrar, marrar para tirar as melhores notas possíveis e propor-me à tese, que isto não pode ficar assim. Uma gaja tem que ter orgulho, caraças! E paciência...

11.7.08

Será?! Hum...

Estou aqui, estou a fazer aninhos. A minha mãe fez anteontem e a minha avó mailinda faria três dias depois de mim.
Conheço muita gente caranguejo, e (quase, excepção para a osga!) tudo boa gente, mas dada a um dramazito. Sensibilidade à flor da pele, é o que é!

E, como gémeos astrais tenho, que conheça, a Ti Carmen, que é uma sevilhana fixe cumó carago, o João do Hi5, o J., o menino mais doce do mundo o qual acabei de avaliar lá no P&C, e o nosso presidente. É por isso que acho que ele não é mau diabo... não pode, nascendo no mesmo dia que eu.

Isto dos signos vale o que vale, mas algumas coincidências existem com certeza. Quem me conhece certamente que poderá avaliar melhor, mas...




...assim a olho, lá que pareço eu, pareço!

Então a parte do procrastinar foi na mouche.

10.7.08

E para bom entendedor...

9.7.08

O estado da nação?

Amanhã, dia 10 de Julho de 2008, diz que se discute em S. Bento "o estado da nação".

Ó amigos pá, não seja por isso! A malta dá-vos uma ajuda e até podeis ir de férias mais cedo, boa?

3.7.08

Quando é que sabemos que estamos na red light?



Quando até temos uns trocos para gastar em trapinhos e acessórios, e não temos paciência para a "busca". E, pior, mas pior mesmo (acontecer-me a mim, Maria Celeste?!), quando já nem somos capazes de visualizar e idealizar as respectivas combinações.

Se não é o fim, deve andar próximo...


29.6.08

Como nós mudamos, meu Deus!



Your Political Profile:



Overall: 20% Conservative, 80% Liberal

Social Issues: 25% Conservative, 75% Liberal

Personal Responsibility: 0% Conservative, 100% Liberal

Fiscal Issues: 0% Conservative, 100% Liberal

Ethics: 0% Conservative, 100% Liberal

Defense and Crime: 75% Conservative, 25% Liberal

E logo...


É só um palpite.

Nota de actualização: ainda bem que não tenho o vício do jogo...

28.6.08

Uma breve nota pela liberdade


Hoje, em Lisboa marchou-se pela igualdade de direitos entre todos os seres humanos, independentemente de quem amam ou desejam. Eu, que até acredito na teoria deste senhor e tudo, além de ter a liberdade como valor e directriz pessoal, deixo aqui o meu apoio a esta luta.

E faço votos para que um dia o único factor de julgamento de um ser humano seja apenas e unicamente o seu carácter.