4.9.08

Lei n.º 57/2008 de 4 de Setembro


Ou a instituição da Ordem dos Psicólogos, por publicação em Diário da República.

Eu acho bem, assim na generalidade. Há muito que se impunha uma entidade que regulamentasse e garantisse a qualidade do nosso desempenho profissional, de forma a credibilizar a classe, que neste aspecto anda pela hora da morte. Aliás, eu própria não confio nela, para ser sincera. Ou seja, já era tempo de pôr ordem na taberna!

Mas estou confusa... pagar cotas mensais ainda vai, mas virem-me agora exigir, a mim, que já fiz estágio curricular e profissional, além de possuir (felizmente!) alguma experiência, um outro estágio profissional de 12 meses?! Deve ser em formato de seminário, e estão certamente com a mania das grandezas. Porque senão, quero saber quem me sustenta entretanto... Freud ou o futuro bastonário?

6 comentários:

Esoj Odnuges disse...

Ordem dos Psicólogos? Mais uma corporação para dizer ao povinho que eles é que sabem da poda e os outros são todos tolinhos.

Desculpa lá Celeste, não tenho nada contra (quer dizer!) a tua profissão mas o mau exemplo das outras ordens fazem-me pensar assim. Só posso desejar que a vossa seja diferente.

Beijinhos

Sofia disse...

Há que meter ordem na taberna, sim, mas queiramos que não se torne num lobby como outras ordens bem conhecidas!!!

Essa do estágio de um ano fez-me rir... é o autismo português a falar! Parece que neste país quem regula as coisas esquece-se que os outros - nós - temos que trabalhar para sobreviver. É por isso que isto não melhora...

Paula disse...

Olha, acho que nem Freud nem o futuro bastonário...
É só um palpite!
:)
Bjs!

Raquel disse...

Lê atentamente o artigo 84º da Lei nº57/2008, está previsto a dispensa de estágio profissional. Outra coisa não faria sentido.
;)
Bjs

Celeste disse...

Obrigada Raquel pelo teu olhar atento! :)

Entretanto já tinha reparado... mas é que farta de ver coisas sem sentido ando eu. Por isso... :D

Beiji**

Anónimo disse...

Há que ter sempre esperança que o bom senso possa prevalecer numa construção que agora se inicia. è muito simples. Desde que o narcisismo e a inveja e o atropelo, tão característico do ser humano, não ocorra, não tenha hipóteses de nascer. Já agora, no Artº 76, deveres gerais, parece-me que a alínea d) possui um "não" a mais pois o psicólogo deve "exercer a sua actividade em áreas(...)para as quais não tenha recebido formação específica." (?)

E claro.... que a política não mande na Ordem! Caso contrário continuaremos profissionalmente na rua da amargura.